Futuro do Negócio de Concessionária Autos

Prezados amigos,

Quando me perguntam o risco que o negócio de concessionária corre pelas idéias e iniciativas vindas do Vale do Silício, sempre respondo que do lado de cá, existem empresas e empresários com visão e capacidade empreendedora suficientes para competir e superá-los.

E esta foi a tônica da convenção da NADA de 2018. A confirmação de várias iniciativas no campo da tecnologia feitas pelos concessionários, montadoras e parceiros que visam manter a força competitiva do setor para hoje e o futuro.

Por ironia do destino, a palestra com a presença da Waymo que é o projeto da Google de veículos com direção autônoma fosse feita em conjunto com o CEO do Grupo Autonation, sr. Mike Jackson.

Por que digo isso ?

Porque o maior grupo americano de concessionárias mostrou caminhos para os empresários serem competitivos, inclusive aliando-se a gigantes como a Google. E o executivo da Waymo fez questão de dizer que o convite se estendia aos demais empresários do setor nos EUA.

Mas principalmente porque na mesma semana faleceu o sr. Wayne Huizenga, criador do grupo Autonation exemplo de empreeendedorismo que investiu no setor da distribuição quando muitos se questionavam no final da década de 90 qual seria o futuro do negócio.

Eu pessoalmente tive a oportunidade de em 1998 visitar algumas das suas lojas.

Por isso partilho como estímulo a todos vocês empresários que acreditam neste negócio (eu também) texto espetacular publicado na Automotive News, que traduzi e sintetiza a importância do surgimento da Autonation e principalmente das idéias e competência do seu criador.

“ Detalhe depois dele entraram no setor da distribuição inclusive o sr. Warren Buffet...”

Forte abraço.

“ Ele reescreveu o livro sobre varejo "

Artigo de autoria de Keith Crain Autonews 02/04/18

Wayne Huizenga, que morreu em 22 de março aos 80 anos, era um empreendedor completo.

Entrou no negócio de coleta de lixo com um caminhão e se transformou num gigante no setor.

Viu oportunidade em aluguel de vídeo e antes que você percebesse, tinha milhares de lojas chamadas Blockbuster espalhadas por toda a terra - até que ele vendeu a empresa para o “resgate do rei”. Ele sempre sabia quando entrar e quando sair.

E ele viu uma oportunidade no negócio de carros - não apenas vendendo carros, mas cuidando de todas as necessidades do cliente através de superlojas de carros usados, frota de aluguel de carros e parceira com grande empresa de peças e de serviços.

Tudo fazia parte da estratégia de oferecer aos clientes gama completa de serviços automotivos.

E a empresa seria de capital aberto. Wayne amava o mercado de capitais. Isso lhe deu a oportunidade de levantar quantias ilimitadas de capital e permitiu que o público compartilhasse do seu impulso empreendedor.

Sua proposta de “ponto único” não funcionou, então ele contratou o profissional Mike Jackson, que manteve o varejo de concessionárias e fechou as demais empresas.

Hoje, AutoNation é o maior grupo de concessionárias de capital aberto do país.

Wayne se envolveu em esportes em Miami e parecia possuir e ganhar tudo - tudo menos o Super Bowl.

Mais tarde, dedicou muito tempo para a filantropia. Assim como a maioria dos concessionários, ele foi muito generoso. Muitas pessoas compartilharam do seu sucesso.

Dizer que ele teve uma vida plena seria eufemismo. Wayne teve uma vida espetacular.

Ele foi um homem de negócios de sucesso, não uma vez, mas três vezes.

Ele tinha muitas opiniões, mas também escutou.

Quando conversávamos, ele tinha muitas perguntas. E ouvia todas as respostas.

Se você quiser definir o termo empreendedor, basta dizer Wayne Huizenga.

Ele mudou a cara do varejo automotivo com a ajuda de alguns amigos.

AutoNation é o seu legado.

Ele está no Automotive Hall of Fame por um bom motivo."


Artigos Recentes
Arquivos